fbpx
  • Passagem subterrânea de 3,7 km está prevista no novo trecho de serra;
  • Obra estimada em R$ 2,1 bilhões deve começar no final deste ano;
  • Novo trecho de serra da Tamoios que terá menos curva e vários túneis.

Principal rodovia de acesso ao litoral norte de São Paulo, a Rodovia dos Tamoios (SP-99) terá o maior túnel rodoviário do país com 3,7 km de extensão. O megatúnel está previsto na obra do novo trecho de serra da rodovia, prevista para iniciar no final deste ano com duração de 48 meses, até 2017.

O presidente da Dersa, Laurence Casagrande Lourenço, afirmou que o novo trecho contará com cinco túneis que juntos somam 13 km de extensão,  sendo que quatro deles terão entre dois a três quilômetros de extensão. A maior passagem subterrânea de veículos do país ficará bem no meio da Serra do Mar – entre Paraibuna e Caraguatatuba.

A Dersa informou que o início da obra da futura pista  – estimada em R$ 2,1 bilhões – está condicionada a definição de como a obra será custeada  – se somente pelos cofres públicos ou em parceria com a iniciativa privada. Ou seja, a previsão de início do serviço pode sofrer alterações e podem ser iniciadas apenas em 2014.

A nova pista, que terá 21 km de extensão e um traçado totalmente diferente da atual, será utilizada apenas pelos motoristas que estão saindo do litoral norte sentido ao Vale do Paraíba, no interior de São Paulo. Já a pista atual ficará para os motoristas que estão descendo a serra sentido à praia.

“Como a pista atual tem muitas curvas sinuosas, que não tem como serem modificadas, a dificuldade maior do motorista hoje é para subir a serra, por isso fizemos essa separação”,  afirmou Laurence.

Planalto

“O Estado vai analisar o que é melhor para os cofres públicos. Se for somente o Estado, podemos adiantar um pouco o processo e abrir a licitação logo depois de abril, quando deve sair a licença ambiental. Se for por meio de parceria público-privada, o processo demora mais um pouco”, disse Laurence.

As obras e duplicação do trecho de planalto foram iniciadas em maio de 2012. Ao todo, dois quilômetros de pista foram criados durante os seis meses da obra. A duplicação vai custar  cerca de R$ 560 milhões aos cofres do Estado.

Share This