fbpx

O financiamento imobiliário se tornou uma prática comum entre as pessoas que pensam em adquirir um imóvel.

Para quem não tem o valor total disponível ou opta por não utilizar a quantia no momento, financiar é uma ótima opção. Se o interessado no imóvel já é proprietário de algum outro, ele pode usá-lo como parte do pagamento e financiar o restante do débito.

Recentemente o Conselho Monetário Nacional (CMN) elevou o valor dos imóveis que podem ser comprados com recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). O valor que antes era de R$ 500 mil, subiu para até R$ 750 mil nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Distrito Federal.

Quem pretende financiar um imóvel precisa saber que as regras para comprar usando o FGTS não mudaram. De acordo com a Caixa, as condições básicas são:

– Não estar em processo de compra de outro imóvel pelo Sistema Financeiro de Habitação (SFH) ou ter outro imóvel residencial (concluído ou em construção) em financiamento pelo SFH, em qualquer parte do território nacional.

– Comprovar tempo de trabalho mínimo de três anos sob regime do FGTS.

– O imóvel precisa estar no município onde o comprador exerça sua ocupação principal (salvo quando se tratar de município limítrofe ou integrante da região metropolitana) e onde o comprador comprove morar há pelo menos um ano.

Há alguns anos atrás era mais comum encontrar ótimos apartamentos nas grandes cidades por menos de um milhão de reais. Porém, após a valorização do mercado imobiliário, os apartamentos de médio e alto padrão atingiram patamares elevados. E essa, provavelmente, é uma das causas que têm levado clientes de alto padrão a financiar imóveis de luxo.

Outro fator importante é que as condições não mudam em relação aos financiamentos de valores mais baixos para os mais altos. Os critérios para a liberação do crédito são avaliados muito mais de acordo com o perfil do cliente do que do imóvel propriamente dito. Além disso, não é regra usar o FGTS para realizar um financiamento (para imóveis com teto acima de R$ 750 mil, por exemplo). O que vai diferenciar uma modalidade da outra são as condições de pagamento, como as taxas de juros cobradas, o prazo para avaliação e liberação do crédito, a duração dos contratos e quanto do valor do imóvel poderá ser financiado. Tudo isso também pode variar de uma instituição bancária para outra.

De acordo com uma matéria publicada na revista Exame, “os clientes de alto padrão nem sempre compram imóveis de alto padrão. Os clientes considerados AAA tomam financiamentos para dois tipos de imóveis. Quando o assunto é apartamento de alto padrão, com elevados valores de compra, em geral, ele é adquirido para uso próprio”. Esse tipo de cliente também procura por imóveis de valores mais baixos, com o objetivo de realizar investimentos.

A Quadra Imóveis é pioneira no mercado imobiliário de alto padrão no Litoral Norte Paulista e está sempre em busca das melhores formas para atender seus clientes.

Texto: Agência MayPress

Share This