fbpx

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.
Powered by Rock Convert

Uma dúvida bastante comum ronda as pessoas que estão pensando em investir em um imóvel: o que é melhor? Construir ou comprar? Essa, realmente, não é uma resposta simples. Ela depende de diversos fatores que devem ser avaliados antes de tomar uma decisão com essa importância.

Entre os fatores decisórios, está a sua intenção com o imóvel, se você tem pressa em se mudar e se já tem um terreno, caso esteja pensando em começar uma obra do zero. Além disso, entra nessa análise o quanto você dispõe de dinheiro, se pretende fazer um financiamento, entre muitas outras perguntas que devem ser respondidas até que você chegue a uma conclusão.

Neste artigo, ajudaremos você a refletir sobre o assunto e verificar qual a melhor opção, de acordo com as suas necessidades e desejos. Continue a leitura e comece, desde já, a fazer o seu planejamento! Vamos lá!

Construir ou comprar um imóvel?

Há vantagens e desvantagens, tanto na aquisição quanto na construção de um imóvel. Diversos fatores devem ser analisados quando estiver prestes a conquistar sua casa. Se você for construir ou comprar, deve definir se quer dentro de um condomínio, em um terreno mais afastado ou com a localização mais central, entre outros fatores.

Para aquisição, ainda há a dúvida se prefere uma casa já mobiliada, em que deverá alterar apenas alguns detalhes da decoração, ou um imóvel vazio, em que você possa levar tudo o que tem ou começar uma decoração completamente nova.

Já a construção envolve a situação do terreno: se houver uma casa, é preciso avaliar se vale a pena reformá-la ou se o melhor é optar pela demolição e planejamento de um projeto novo.

Quais as vantagens da compra de um imóvel novo?

O mercado imobiliário está cheio de opções, caso a sua decisão seja pela compra de um imóvel pronto. A vantagem primordial, nesse caso, é que essa é uma opção totalmente prática. Diferentemente de quem ainda vai fazer a aquisição de um terreno e começar um projeto de construção, é possível escolher o lugar, fazer o pagamento, acertar a documentação e mudar-se imediatamente.

Por isso, essa é a melhor — senão a única — escolha para quem tem pressa de comprar ou alugar um imóvel. Mesmo assim, é preciso ter certa paciência e procurar muito, prestando atenção a uma série de fatores, como localização, valorização do bem, condições do imóvel, condomínio, documentação de regularização, entre outras questões, para que não tenha dores de cabeça no futuro.

Uma vantagem de comprar um imóvel novo é que você pode observar e avaliar detalhes no acabamento, na parte elétrica e hidráulica, e em outras áreas para saber se está tudo de acordo com as suas necessidades. Se não estiver, são duas opções: negociar com o proprietário ou simplesmente escolher outra casa.

As desvantagens dessa escolha

Uma casa pronta tem, normalmente, custo até 30% superior ao que você gastaria na construção de um imóvel semelhante. Essa é a principal desvantagem ao fazer essa escolha. Além disso, há a questão da documentação, que deve ser muito bem analisada. O processo burocrático na aquisição de uma casa é extenso e, para atravessá-lo com tranquilidade, você deve contar com o apoio de uma imobiliária de confiança.

Isso porque é preciso avaliar se não há envolvimento do bem em inventário, dívidas, hipotecas, entre outras questões que podem atrapalhar a negociação. É importante, também, lembrar que os custos com a escrituração são de quem compra são altos e, normalmente, são arcados pelo comprador.

Por fim, muitas vezes, uma casa pronta pode receber pinturas e adequações superficiais apenas para a hora da venda, mas apresentar problemas estruturais em um futuro próximo. É preciso estar atento à presença de cupins, infiltrações, vazamentos e até incidência de ratos ou insetos para evitar surpresas após a assinatura do contrato.

Imóvel decorado ou vazio

Ainda dentro da possibilidade de comprar um imóvel, você pode escolher entre um decorado ou um vazio. Tudo depende de como pretende fazer essa mudança de vida.

Comprar um imóvel decorado

Se você escolher uma casa já mobiliada, poderá fazer a mudança imediatamente, pois terá pouco para resolver antes de entrar no imóvel, que já estará equipado com os itens básicos, como eletrodomésticos, armários, entre outros.

Os custos com translado de mobília e o tempo para organização e empacotamento dos seus pertences para transporte até o imóvel novo serão bem reduzidos. Além disso, você não terá de contratar profissionais para instalação e montagem de móveis.

Por tudo isso, essa escolha é perfeita, por exemplo, para quem troca de cidade por causa do trabalho e tem de se adaptar rapidamente. Também é uma boa opção para quem está deixando a casa dos pais ou recém-casados.

Por outro lado, as casas mobiliadas costumam custar mais caro, pois o valor dos móveis e eletrodomésticos, e custos com a decoração estão embutidos no preço de venda. Além disso, esses imóveis são mais valorizados pelo mercado. Outra desvantagem é que o mobiliário pode não agradar ao novo proprietário.

Outro problema que pode ocorrer nesse caso é que o mobiliário antigo pode apresentar cupins e defeitos. Os eletrodomésticos mais antigos podem começar a ter falhas e precisar de manutenção ou troca, algo que poderia não estar previsto no seu orçamento. Nesse caso, você paga mais caro pela casa, e o investimento pode não valer a pena, já que os utensílios terão de ser repostos.

Adquirir um imóvel vazio

Essa é a melhor opção para quem já tem mobília própria e não quer se desfazer dela. A escolha por um imóvel que não esteja previamente decorado também favorece àquelas pessoas que desejam decorar o espaço de acordo com seus gostos pessoais, adquirindo tudo a partir do zero para inserir sua personalidade na casa nova. Você terá liberdade para deixar o novo lar com o estilo que quiser, adaptando o imóvel às suas particularidades.

Também será mais fácil fazer obras no local, antes de se mudar, caso você queira promover mudanças mais profundas, como trocas de pisos, pintura nas paredes, instalação de revestimentos diferentes, como azulejos ou papel de parede, entre outras. As reformas costumam, inclusive, demorar menos tempo para serem concluídas nos imóveis vazios.

Por que optar pela construção de uma casa?

Se, para algumas pessoas, a vantagem de comprar uma casa pronta está em livrar-se dos possíveis desgastes e pelo estresse ocasionado pelo acompanhamento de uma obra, a construção é a escolha de outras justamente por sentir prazer nessa tarefa. Sonhar com cada detalhe do imóvel, planejar o tamanho dos cômodos, imaginar a disposição das salas e dos quartos, tudo isso é, para muitos, uma grande realização.

Construir um imóvel do zero pode ser o melhor para quem quer gastar menos e não tem pressa para se mudar, tendo a possibilidade de analisar todos os detalhes e projetar a casa no tamanho, na localização e com todas as funcionalidades que imaginou para a sua família.

Para isso, o ideal é contar com uma equipe com engenheiro(a) e arquiteto(a), que ajudarão a mensurar as necessidades elétricas e hidráulicas (considerando fatores externos e a usabilidade), tipos de janelas e portas que combinam com o estilo de casa que você pretende construir, entre outros fatores.

Também é mais fácil e econômico, ao construir, desenvolver projetos que contemplem formas sustentáveis de captação de energia solar e aproveitamento de água da chuva, por exemplo, pois tudo já será dimensionado pensando nesses fatores.

Porém, a vantagem mais interessante de todas está no seu bolso: como mencionamos, construir uma casa tem a tendência de custar, no mínimo, 30% menos do que comprar uma pronta. Além disso, você deve considerar que, depois de pronta, ela também terá uma boa valorização, o que garante que esse seja um investimento muito rentável.

Construir também tem desvantagens

Nenhuma obra é fácil, disso ninguém tem dúvidas. Portanto, é preciso ter muita paciência para lidar com situações imprevistas, como longos períodos de chuva que podem atrasar a construção, ou com problemas na contratação de mão de obra.

Outra dificuldade é a escolha do terreno, pois você deve ter atenção a diversos aspectos, como infraestrutura de saneamento, localização, segurança do bairro, se a vizinhança é tranquila, se há comércio, escolas e transporte público nos arredores, como é o fornecimento de energia etc. A pesquisa para encontrar um bom custo-benefício pode ser demorada.

Por fim, há no mercado uma escassez de profissionais qualificados para a realização desse tipo de trabalho com qualidade e, quando você os encontra, o preço é mais alto. Tenha em mente que a construção de uma casa deve ter uma equipe de pedreiros, gesseiros, eletricistas e encanadores bem alinhada para que não haja problemas no projeto.

Terreno com casa ou vazio

Também na hora de comprar o terreno você pode se deparar com situações diferentes. Muitas vezes há uma ótima área, com o tamanho e na localização desejada, mas que já tem uma casa construída. Comprar esse terreno ou escolher um que esteja vazio depende, também, de alguns fatores.

Construir no terreno vazio

Essa é a situação ideal para quem quer começar do zero e projetar a casa dos sonhos. O passo mais importante é fazer uma boa escolha da área, observando se ele tem aclives ou declives que dificultarão a obra, por exemplo. Você pode optar, para não ter esse tipo de entrave, por um terreno pronto para construção.

Verifique se ele está registrado no Cartório de Registro de Imóveis e se não há problemas burocráticos. Comprar em um condomínio fechado é vantajoso, nesse caso, pois essas questões de documentação são facilitadas pela administradora ou construtora.

A planta do seu imóvel deve ser feita com base no terreno escolhido. Com o projeto em mãos, é preciso, então, cuidar da terraplenagem, iniciar as ligações de água e esgoto, energia elétrica e, finalmente começar a obra de alvenaria, levantando a sua casa. Essa é a parte mais lenta da construção, que exige paciência e atenção.

Demolir o existente e construir um novo

Quando você se depara com o terreno perfeito e fecha negócio, mesmo se há um imóvel construído no local, antes de decidir o que fazer, precisa avaliar: há possibilidade de reformar para que ele fique da maneira que você deseja ou é melhor demolir e construir novamente? Se a reforma for apenas superficial, com pintura e troca dos pisos, por exemplo, talvez valha a pena ficar com o imóvel que já está pronto.

Contudo, se você pretende derrubar paredes, trocar o telhado, perceber que toda a encanação e parte elétrica já não são mais funcionais, se exigir mudanças na planta original e na fundação e se houver problemas na estrutura, o melhor a fazer é derrubar tudo e planejar uma nova versão para o imóvel, customizado com tudo o que você precisa e quer ter em sua casa.

Isso porque a descaracterização desse imóvel antigo, provavelmente, terá o custo mais baixo do que a construção de uma casa nova. Para fazer essa análise, o melhor é chamar um profissional que possa elaborar um orçamento detalhado da reforma que precisaria ser feita no imóvel antigo. Com essa informação em mãos você poderá avaliar se vale a pena fazer um novo projeto.

Como funciona o financiamento nos dois casos?

Uma forma de decidir se você vai construir ou comprar um imóvel pronto é avaliar as suas condições financeiras para o investimento. Se tiver o dinheiro todo, talvez seja mais vantajoso pensar na construção, caso não tenha pressa de se mudar. Porém, mesmo se preferir comprar, terá a vantagem de poder negociar melhor o valor do imóvel, obtendo mais vantagens.

Para quem precisa de financiamento, é bom saber que o processo para obtenção de recursos junto ao mercado financeiro é mais facilitado para a compra do que para a construção. As condições de pagamento costumam ser melhores, com prazos mais longos e juros menores, além dos processos para liberação do crédito serem mais simples.

Financiamento para compra

As instituições financeiras estão mais habituadas ao financiamento para a compra de imóveis do que para construção. Por isso, há mais opções no mercado para essa modalidade. Assim, é preciso que você faça pesquisas, visite diversas instituições e verifique as condições de empréstimos, formas de pagamento, taxas de juros e outros dados antes de decidir e assinar o contrato.

Nos últimos anos, bancos públicos e privados criaram pacotes especiais de financiamentos voltados a esse segmento. Isso significa, na maioria dos casos, que o número de parcelas e as taxas de juros são mais atraentes.

Com o financiamento imobiliário, você pega emprestado o valor do imóvel que pretende comprar e paga em diversas parcelas, ao longo de alguns anos — até 30 anos, na maioria dos casos.

Enquanto a dívida não é quitada, o imóvel pode ser usado pela pessoa que fez a compra e só pode ser renegociado se houver aprovação da instituição financeira. Isso ocorre porque ele é a garantia nos casos em que não é feito o pagamento do empréstimo.

Empréstimo para construção

Diferentemente do que ocorre para o processo de compra de imóvel, no caso da construção, as linhas de crédito e condições de financiamento nem sempre são tão atraentes. Muitas vezes as taxas de juros são mais altas do que as praticadas para adquirir uma casa e, ao fim do processo, em algumas situações pode não valer a pena construir.

Além disso, geralmente as instituições financeiras exigem que você tenha recursos para iniciar a obra antes de obter o financiamento e é preciso que o terreno já esteja em seu nome, com a documentação regularizada e o projeto da construção pronto e aprovado.

Os bancos costumam avaliar, inclusive, o projeto da obra antes de aprovar o crédito. A liberação dos recursos, como mencionamos, é feita após o início da obra e ocorre conforme o cronograma e as etapas forem vencidas.

É possível fazer consórcio para construção de casa?

Uma opção para quem pode esperar mais tempo e não quer pagar as taxas de juros, que costumam ser mais elevadas nos financiamentos, é o consórcio. Muita gente não sabe disso, mas há grupos de consórcio também para a construção. Para participar, é preciso procurar uma administradora e avaliar o valor, as quantidades de parcelas e a idoneidade da empresa.

Os consórcios podem durar até 15 anos, com assembleias mensais em que são feitos o sorteio entre os participantes para a contemplação da carta de crédito, cujo valor poderá ser usado no custeio da construção. O diferencial dessa operação é que não há juros, mas apenas taxa de administração paga mensalmente com as parcelas.

O consórcio pode ser usado tanto para a compra do terreno quanto para a obra. Uma das vantagens é que você ganha tempo para planejar a construção com economia.

Consórcio imobiliário: tire todas as suas dúvidas com este guia

Neste e-book explicamos quais são as principais particularidades do consórcio imobiliário. Assim, você pode tirar as suas dúvidas e ver se essa é uma opção adequada para conquistar um imóvel! Confira os principais pontos:
  • O que é e como funciona o consórcio imobiliário?
  • Quais são as vantagens e desvantagens de fazer um consórcio?
  • Por onde começar?

O que é necessário para começar a construir um imóvel?

Bom, agora que você já tem todas essas informações aprofundadas e detalhadas sobre qual a melhor opção, se construir ou comprar um imóvel, é hora de entender o que é preciso fazer para começar as obras e concluí-las. A partir dos tópicos abaixo, você terá maior clareza desse processo. Veja.

Compra e preparação do terreno

Se você ainda não tem um terreno, será preciso primeiramente adquirir um, obviamente. Pense que a própria área já dirá muito sobre o que é possível ou não construir ali. Se tiver um aclive muito grande ou for pequeno, não adiantará você projetar nada muito complexo. Vislumbre se o projeto da casa que quer construir se encaixa bem naquele terreno e depois planeje a construção.

A fase de preparação pode envolver tanto a terraplenagem quanto o aterramento. No primeiro caso, procura-se deixar o terreno plano, inclusive com a retirada de terra, para facilitar a execução do projeto e no segundo, ocorre o contrário quando o terreno é ainda inconsistente para se fazer uma obra ali a fim de deixá-lo preparado.

Elaboração do projeto de construção junto a um arquiteto ou engenheiro

Depois que o terreno está pronto para receber uma obra, é necessário contar com a ajuda de um arquitetoe um engenheiro. O primeiro será responsável pelo projeto, fazendo o desenho da casa, números de cômodos, posição em relação ao sol, fiação, tomadas, encanação e tudo mais o que for necessário para que o sonho seja concretizado.

O engenheiro planejará a execução dessa ideia e mais que isso, estará responsável também por submeter o projeto junto à prefeitura e assim conseguir o habite-se para a construção do seu imóvel.

Documentação na prefeitura

Vale lembrar que cada cidade tem suas regras. Ainda que hajam alguns termos gerais, é importante que você vá até a prefeitura a fim de averiguar qual a documentação necessária para que não haja erros. Todavia, poderíamos destacar os seguintes documentos como sendo recorrentes em diversas cidades:

  • matrícula do imóvel: o terreno comprado está legalmente regularizado? Confira essa questão e evite problemas;
  • alvará de construção emitido pela prefeitura: lembra da importância do engenheiro na obra? Pois bem, ele será essencial aqui;
  • Anotação de Responsabilidade Técnica (ART): esse é o documento que comprova a relação entre o engenheiro e a obra que está realizando;
  • habite-se: também conhecido como certificado de conclusão da obra. A prefeitura deve averiguar como tudo foi feito antes de emitir esse documento;
  • registro de imóvel: com a planta do imóvel e habite-se em mãos você deve ir até o cartório de registros de imóveis a fim de dar o próximo passo;
  • cadastro do imóvel na prefeitura: o procedimento é concluído aqui quando você recebe um número de cadastro confirmando a existência do imóvel.

Você deve pensar também na contratação de mão de obra. É disso que falaremos a seguir.

Contratação de mão de obra para começar a construção

Existem basicamente duas formas de contratar mão de obra para iniciar a construção do seu imóvel. Uma delas é contando com um mestre de obras e pedreiros. A outra é contratando uma construtora que poderá cobrar mais caro mas em compensação executará o projeto mais rapidamente e eficazmente, acompanhando todo o processo e evitando possíveis erros.

O que é necessário para comprar um imóvel?

Para comprar um imóvel, existem três documentações principais: a sua, a do vendedor e a do imóvel. A documentação do imóvel envolve os seguintes papéis:

  • matrícula atualizada;
  • IPTU em dia;
  • habite-se:
  • declaração de negativa de débito (não há dívidas pendentes para venda);
  • averbação do imóvel (está registrado em cartório);
  • planta.

Porém, se o vendedor tiver dívidas acumuladas terá que comprovar que quitará todas antes da conclusão da venda. Feito isso, é obrigatório que apresente então RG, CPF e certidão de casamento ou união de regime estável, se for o caso. Esse é um detalhe importante, pois se o imóvel estiver no nome de um casal, ambos precisam apresentar documentos.

No caso de quem está comprando os documentos a serem apresentados são:

  • extrato do banco
  • declaração do Imposto de Renda;
  • CPF e RG;
  • comprovante de renda;
  • comprovante de endereço atual.

É fato que seja comprar ou construir um imóvel, exige planejamento. Desde a parte financeira até a burocrática são muitos os detalhes a serem levados em conta. Nessas horas, nada melhor que contar com uma boa imobiliária que seja capaz de oferecer as soluções que você precisa de acordo com o que vem buscando.

Se gostou de descobrir qual a melhor opção para você, se construir ou comprar um imóvel, aproveite para entrar em contato conosco e saber mais sobre como podemos ajudá-lo a tornar esse objetivo, realidade.

Share This