fbpx

Investir na bolsa de valores é algo que pode ser um pouco confuso para a maioria dos investidores iniciantes. Por não existir um valor mínimo para começar, cabe somente ao interessado fazer suas contas e decidir se as taxas cobradas não irão pesar sobre o investimento. Para aqueles que já investem é uma forma de potencializar os ganhos ao longo do tempo. Não devemos esquecer que ações geram rendas variáveis, os riscos existem assim como os ganhos. Comprar ações significa ter “pedaços” de uma empresa e se tornar um sócio dela.

Definir um objetivo é o primeiro passo para quem pretende entrar neste mercado. Antes de tudo, fique atento e estude sobre o assunto. Existem diversas maneiras para investir, vamos ressaltar aqui as principais e mais utilizadas: a Compra Direta de Ações, nesta modalidade você escolhe as ações que deseja comprar e transmite a ordem para a corretora. Outra opção é o Clube de Investimentos, formado por grupos de pessoas que se unem para investir, ganhos e perdas são divididos proporcionalmente. Já os Fundos de Índices (ETFs) representam os desempenhos de determinados setores de mercado, com cotas que você compra na Bolsa. E por fim, o Fundo de Investimento em Ações, onde o investidor compra cotas de um fundo de ações, administrado por uma Corretora ou um Banco.

As opções variam e pode-se investir sozinho ou com a ajuda de profissionais, porém, procurar a assessoria de alguma prestadora é fundamental para o seu sucesso, principalmente se você está começando.

Saiba o que uma corretora deverá fazer por você: Oferecer todo suporte necessário sobre o funcionamento da bolsa de valores, ter a orientação de especialistas, definir um perfil de investidor, escolher as melhores ações de acordo com o perfil e o objetivo financeiro, manter o cliente atualizado quanto a novos serviços, taxas e relatórios, além de disponibilizar alguns facilitadores, como a plataforma home broker para investimentos via internet. Outro ponto a ser destacado são os valores das taxas de serviços. Taxa de corretagem corresponde ao acesso para o mercado e a taxa de custódia é referente à guarda das ações pela Bolsa e pelo pacote de serviços da prestadora. Estes valores podem variar de acordo com a corretora escolhida.

Aprender sobre as empresas disponíveis no mercado é primordial para definir corretamente em quais ações irá investir, assim como é importante estar atento a algumas regras do que “Não” fazer com o seu investimento. Seja prudente, e não invista todo o seu dinheiro em ações. Comece com cuidado e não se deixe levar pela empolgação, comprar e vender por impulso pode resultar em prejuízos. Sabemos que o mercado de ações vive entre altos e baixos, ter certos cuidados evitará riscos ao seu investimento. Um contador poderá orientá-lo com a questão do IR (Imposto de Renda). Normalmente o IR sobre ganhos nas ações é de 15% e ao vender menos de R$20.000,00 (vinte mil reais) estes ganhos podem permanecer isentos.

Estes são os principais passos para quem decide investir em ações. Procure sempre a orientação de especialistas e faça bons negócios!

Texto: Daniele Buosi.
Fotos: Reprodução Internet
Fontes: Site BMfBovespa; Site Como investir; Blog Bússula do Investidor.

Share This