fbpx

Descubra de que forma é possível contribuir com um meio ambiente mais saudável e harmonioso

Uma coisa é certa: pode até ser fácil comprar um daqueles belíssimos apartamentos em Balneário Camboriú, mas o difícil, muitas vezes, é reformar o imóvel de maneira que essa reforma não agrida o meio ambiente.

No entanto, seguindo um passo a passo básico, é possível, sem muito trabalho, renovar o seu imóvel na praia e ainda contribuir com a sustentabilidade do meio em que vivemos.

Nas próximas linhas, fique por dentro de 7 passos para fazer uma reforma sustentável da sua casa de praia.

1º passo: Comece pensando em um bom isolamento térmico

Muitos donos de apartamentos em Balneário Camboriú pensam em milhares de coisas ao elaborar a reforma de seus imóveis, menos em portas e janelas que possam isolar de forma eficaz a casa do ambiente externo.

Isso torna-se extremamente essencial, principalmente se levarmos em conta que há aparelhos condicionadores de ar em quase cem por cento das casas próximas da praia. E você, claro, sabe muito bem que um isolamento térmico ruim causa, consequentemente, um maior consumo do ar-condicionado.

É uma boa ideia instalar vidros duplos ou triplos nas janelas. Se isso não for possível, certifique-se ao menos de que estejam perfeitamente selados: com um pouco de silicone, você pode fechar qualquer lacuna.

2º passo: Aproveite a iluminação solar que a praia lhe oferece

É, comprar apartamento em Itapema tem lá seus benefícios, viu. Um deles é que, por ser uma região de praia, você não precisará gastar muito com a conta de iluminação se souber aproveitar a incidência solar que emana sobre o litoral.

Por isso, aproveite para instalar janelas maiores na sua sala de estar e nos quartos. Se você ainda não chegou a comprar apartamento em Itapema, aproveite a fase da pesquisa e dê preferência a imóveis com orientação para o sul, sudeste ou sudoeste, que recebem uma maior quantidade de luz solar em seus interiores.

Caso pretenda fazer uma grande reforma, você pode até pensar em obter painéis solares para o seu imóvel. Com o passar dos anos, mais e mais fabricantes de painéis solares têm aparecido no mercado e, com isso, o preço desses painéis têm diminuído bastante.

Mas você sabe, né, que independentemente do valor, o mesmo acaba se compensando no futuro com a redução da sua conta de luz.

3º passo: Dê preferência a luzes de LED

Independentemente de instalar ou não painéis solares na sua casa de praia, é bom acrescentar à reforma do imóvel a troca de lâmpadas incandescentes ou de halogênio por lâmpadas de LED.

Apesar de serem mais caras, a economia que você perceberá na conta de luz vai, com certeza, compensar o dinheiro extra desembolsado na compra das luzes de LED. Caso o orçamento esteja apertado, você pode deixar para ir trocando de pouco em pouco as lâmpadas antigas (à medida que não estiverem funcionando mais).

4º passo: Instale botões duplos para a descarga dos vasos sanitários

Não é porque você vive perto do mar que deve se esquecer que hoje falta água em várias partes do planeta. Milhares de pessoas não têm acesso à água encanada e saber como economizar esse recurso que vem se tornando cada vez mais escasso é essencial para tornar a sua reforma sustentável.

Só no banheiro, por exemplo, todos os dias litros e litros de água são desperdiçados enquanto você toma banho ou aciona a descarga do vaso.

Para tentar diminuir (pelo menos um pouco) esse desperdício, você pode instalar um botão duplo para o acionamento da descarga do vaso sanitário. Apertando do lado esquerdo, há uma descarga menor de água e, do lado direito, há uma liberação maior.

5º passo: Busque utilizar na reforma apenas materiais ecologicamente corretos

Como provavelmente não aparecerão muitos imóveis com projetos arquitetônicos sustentáveis na lista de casas à venda que você terá que ver até escolher a casa de praia ideal para a sua família, definitivamente o que não pode faltar são materiais ecologicamente corretos na sua reforma.

Um exemplo que podemos citar são as tintas não-tóxicas. Em vez de metais e corantes com potencial tóxico, essas tintas usam gesso, cal e outros elementos que não afetam sua saúde, nem produzem tanto desperdício quando fabricados.

Outro exemplo que pode tornar o projeto da reforma da sua casa de praia ainda mais sustentável são itens decorativos feitos com materiais recicláveis. Afinal de contas, contribuir com a produção de mais materiais recicláveis no mercado não se trata apenas de adotar o descarte seletivo de resíduos sólidos.

Você mesmo pode aproveitar alguns itens que iria jogar fora para decorar a sala de estar ou o quarto dos seus filhos. Garrafas de vidro, frascos, uma velha escadaria, alguns cestos de vime e até mesmo garrafas plásticas podem se transformar em objetos decorativos ou mesmo em móveis utilitários.

6º passo – Reserve um espaço para um pequeno jardim

Uma casa ecológica, por definição, tem que se conectar com a natureza. E o que melhor se conecta com o meio ambiente do que as plantas? Um jardim, um terraço, uma varanda… qualquer exterior é bom para o cultivo de plantas aromáticas.

Mesmo em uma escala muito pequena, cultivar plantas em casa é a desculpa perfeita para reutilizar uma determinada água que, de outra forma, seria jogada fora (como aquela que você usa para lavar vegetais ou dar banho no seu animal de estimação).

7º passo – Mude as atitudes no dia a dia

De nada vai adiantar realizar uma reforma sustentável se nem mesmo as suas atitudes refletem um pensamento voltado à sustentabilidade do planeta. É muito importante entender que o verdadeiro truque para conseguir uma casa sustentável é que seus habitantes também sejam sustentáveis.

E economizar no uso da água e da energia elétrica será fundamental para que não só a sua casa de praia se torne amiga do meio ambiente, como você também seja um grande embaixador dessa causa.

Tudo bem, você estará certo se disser que a vida moderna não facilita a sustentabilidade e até mesmo nas casas à venda que vemos hoje é difícil encontrar esse conceito impresso em suas estruturas.

Mas, pelo menos como você pôde ver no texto, é possível sim ingressar nessa jornada, e vale a pena fazê-lo: fará bem para o seu bolso, para o planeta e, inclusive, para o seu próprio modo de vida.

Sentiu-se inspirado em contribuir com o movimento sustentável? Então comece a ajudar a causa compartilhando o post nas redes sociais!

Share This